AVALIAÇÃO DE CONCENTRAÇÃO MÍNIMA INIBITÓRIA PARA FUNGOS E BACTÉRIAS DE DIFERENTES SANITIZANTES

Resumo: A implementação de medidas preventivas de contaminação de superfícies por bactérias e fungos é imprescindível considerando que esses microrganismos são nocivos à saúde humana e são uma fonte importante de transmissão de doenças como, por exemplo, a Covid-19. Dentre essas medidas, pode-se citar a utilização de diferentes sanitizantes e as condições de uso como concentração, tempo de contato e temperatura. Objetivou-se avaliar a eficiência de sanitizantes comumente empregados em domicílios, sobre bactérias e fungos. Empregou-se no presente projeto, uma análise das concentrações mínimas inibitórias do álcool 70% e da água sanitária. Os testes foram realizados em placas de Petri com meio de cultura elaborados com gelatina incolor, glicose e os sanitizantes em diferentes concentrações. Os resultados demonstram que ambos os sanitizantes são eficazes, porém o tempo de duração de sua eficiência e as concentrações necessárias são diferentes para os dois sanitizantes testados. O álcool teve uma eficiência a partir da concentração de 15%, durante 4 dias, enquanto a água sanitária teve sua eficiência comprovada a partir de 3% de concentração com eficiência de 7 dias.
Palavras-chave: Sanitizantes
, fungos
, bactérias
, Concentração mínima inibitória

Estudante (s) pesquisador (es)

Amanda de Abreu Fregatto
Anna Beatriz Boiça e Silva
Melissa Santos Salandin
Série: 7º ano

Orientadores(as)

Fabio Luiz Ferreira Bruschi
VOTE NO PROJETO

Utilize o botão abaixo para votar nesse projeto